Análise de Estresse e Qualidade de Vida em Alunos Universitários

Daniela Maria Feltrin Marchini, Rogério Cardoso, Yeda Oswaldo, Sílvio Roberto Ignácio Pires

Resumo


O aumento de atividades, a incerteza e a pressão por resultados profissionais tem ocasionado a elevação dos níveis de estresse no ambiente organizacional nos dias atuais. Fato que tende a se agravar com a aceleração das mudanças provocadas pelo aumento do mundo digital e de decisões ágeis. O aumento do estresse também é recorrente nos ambientes universitários, onde grande parte dos alunos são profissionais que já assumem uma carga de responsabilidade e atividades em suas organizações no dia a dia. Motivados pelo conhecimento de que muitos fatores estressores também estão presentes no ambiente universitário e que o excesso de compromissos assumidos é um importante fator estressor, este artigo teve como objetivo checar o nível de estresse em alunos universitários e verificar se ter uma dupla jornada entre trabalho e estudo universitário pode influenciar na qualidade de vida dos estudantes e assim aumentar o seu nível de estresse. Foi realizada uma pesquisa explicativa com a realização de pesquisa bibliográfica e um estudo de caso através de survey envolvendo alunos do curso de Tecnologia em Logística de uma faculdade da Região Metropolitana de Campinas. Para o estudo foram aplicados testes de avaliação de qualidade de vida e de estresse nos alunos de todos os semestres letivos do curso selecionado para o estudo. Após análise de correlação entre as variáveis, foi possível observar que a maior parte dos alunos se encontram com um nível elevado de estresse (alerta) mas ainda não estão no estágio mais elevado (em pânico). Os alunos que trabalham apresentaram um nível mais elevado de estresse dos que os alunos que não trabalham. Os alunos que estão cursando os últimos semestres letivos, apesar manterem uma satisfatória qualidade de vida, também apresentam nível de estresse mais elevado que os alunos dos primeiros semestres. A grande maioria dos alunos apresentaram qualidade de vida boa ou satisfatória. Foi possível observar uma estreita ligação entre os alunos que apresentaram baixa qualidade de vida e nível de estresse mais elevado (em pânico), o que apesar de ser um percentual baixo, é um ponto de preocupação uma vez que este índice pode provocar riscos a saúde e a vida dos estudantes. Este conhecimento é importante para que trabalhos de conscientização sejam realizados envolvendo todo o corpo docente e discente, auxiliando assim os alunos a alcançarem não só o sucesso profissional como também manterem uma qualidade de vida satisfatória e levar este aprendizado para a sua vida profissional.

Palavras-chave


Estresse, Qualidade de Vida, Alunos Universitários

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Administração da Unimep. ISSN 1679-5350. Publicação eletrônica vinculada ao Programa de Pós-graduação stricto sensu em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba.