ESTUDO DOS FATORES ANTECEDENTES DA ATITUDE FACE AOS BENS DE LUXO: UMA ANÁLISE ENTRE GRUPOS DE PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA FÍSICA E PESSOAS SEM DEFICIÊNCIA

Juliana Correa Mergel, Alexandre Cappellozza

Resumo


Os produtos de luxo são capazes de transmitir significados sociais e individuais, bem como sua carga simbólica e emocional. Esses produtos correspondem à expressão de desejos e emoções humanas, de modo que seja possível, por meio dos produtos de luxo, conhecer um pouco dos valores, das crenças e das atitudes das pessoas que os consomem. Além disso, o consumo de bens de luxo indica os valores e o panorama de mundo compartilhado pelos grupos sociais e dentre os diversos tipos de consumidores, há o grupo de pessoas portadoras de deficiência (PCD).  O número de pessoas com deficiência no Brasil chega a 45 milhões da população brasileira, e o mercado brasileiro voltado para pessoas com deficiência ainda é pouco explorado pelas empresas. Esse trabalho analisa os efeitos dos fatores antecedentes da atitude face aos bens de luxo entre pessoas portadoras de deficiência física e pessoas sem deficiência. A pesquisa se fundamenta em uma abordagem de investigação quantitativa, onde os dados foram coletados por meio de um instrumento de pesquisa com a obtenção de 239 questionários respondidos, possibilitando a análise dos relacionamentos entre os construtos Status, Influência Social, Autoestima, Não funcionalidade sobre a Atitude Face aos Bens de Luxo. Para realizar os testes das hipóteses do estudo, foi realizada a análise de equações estruturais, com base no PLS-PM (Partial Least Squares Path Modeling), onde foram apresentadas medidas satisfatórias para os construtos investigados e o modelo proposto, sendo significantes algumas relações entre os construtos. O estudo concluiu que a percepção de status influencia positivamente a Atitude face ao luxo, pois os indivíduos buscam aumentar seu status através do consumo de bens de luxo. Concluiu-se também que a influência social e autoestima impactam positivamente a Atitude face aos bens de luxo. Não foram encontradas influências significantes da não funcionalidade com a atitude face ao luxo e, além disso, não foi confirmado que a autoestima influencia a percepção de status e de influência social. Os resultados evidenciam também que pessoas sem deficiência possuem maior percepção de Status se comparados com as pessoas com deficiência física. O grupo de pessoas com deficiência física tem maior percepção de Funcionalidade atribuída aos produtos e maior Autoestima se comparado com o grupo de pessoas sem deficiência. De acordo com os resultados, o impacto da Autoestima sobre a Atitude Face ao Luxo é moderado pelo porte de deficiência. Os resultados deste estudo podem auxiliar a concepção de estratégias de vendas e publicidade a partir da diversidade do público consumidor  e de forma a evitar conotações negativas e estereótipos dos grupos sociais, uma vez que a pesquisa apresenta as percepções de um grupo de consumidores pouco estudado neste tema.


Palavras-chave


Atitude; luxo; comportamento do consumidor; pessoas com deficiência.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Journal of Directors of Unimep. ISSN 1679-5350. Electronic publication linked to the Professional Program Master's and Doctorate in Business Administration, Methodist University of Piracicaba

Diario de Administración de Unimep. ISSN 1.679-5.350. Publicación electrónica vinculada a la del Programa de Maestría y Doctorado Profesional en Administración de Empresas, Universidad Metodista de Piracicaba.

Revista de Administração da Unimep. ISSN 1679-5350. Publicação eletrônica vinculada ao Programa de Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba.