INFLUÊNCIA DA ESTRUTURA DE CAPITAL NO DESEMPENHO ECONÔMICO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA

CAMILA FREITAS SANT'ANA, ANDRESSA MICHELS, TARCISIO PEDRO DA SILVA

Resumo


A literatura apresenta que, o desenvolvimento de um país liga-se diretamente com a capacidade inovadora do mesmo. Entretanto, para que essas empresas inovadoras consigam permanecer nesse ambiente competitivo no qual estão inseridas, necessitam de uma fonte de recursos que financiem os seus contínuos investimentos, fundamentais para a sobrevivência da organização.

Uma vez que as empresas de inovação tecnológicas investem em melhorias na sua estrutura e em seus produtos ou serviços oferecidos, há aumento da capacidade competitiva para a empresa e também para a economia na qual está inserida. Os estudos anteriores mencionam que as organizações na busca por recursos financeiros, utiliza-se na maioria das vezes da estrutura de capital, contudo essa é uma decisão que deve ser tomada com extrema atenção uma vez que envolve diversos fatores que podem elevar o grau de risco a que a sua entidade está exposta. Neste sentido, objetivo do estudo foi verificar a influência das determinantes da estrutura de capital no desempenho econômico de empresas brasileiras de tecnologia. A pesquisa caracteriza-se como descritiva, documental e quantitativa. A amostra foi composta por 21 empresas, referentes aos setores de comunicações, telecomunicações e indústria digital definidos conforme a base de dados da Revista Exame. Os dados coletados compreendem ao período de 2009 a 2013, do qual foram analisados por meio de regressão linear múltipla, tendo como variáveis dependentes o Retorno dos Ativos e o Retorno do Patrimônio Líquido e como variáveis independentes as determinantes da estrutura de capital, sendo o Endividamento Geral, o Tamanho da empresa medido pelo volume de vendas e número de empregados, a Taxa de crescimento das vendas, o Tipo de capital e o Tipo de controle. Os resultados indicam que o Retorno dos Ativos foi influenciado positivamente pela Taxa de Vendas no ano de 2009, no ano de 2011 e no ano de 2013. O Retorno do Patrimônio Líquido demostrou-se influenciado positivamente pelo Endividamento Geral no ano de 2010, assim como pela Taxa de Vendas no ano de 2009 e 2013 e no ano de 2013 o tipo de capital apontou significância negativa quanto ao retorno do patrimônio líquido. Os achados revelam que o desempenho econômico das empresas de tecnologia é principalmente determinado pela taxa de crescimento das vendas, em virtude de que quanto maior as vendas do ano atual em relação ao ano anterior melhor o retorno dos ativos e do patrimônio das organizações. As considerações realizadas neste trabalho devem enriquecer a literatura existente sobre a temática abordada.  


Palavras-chave


Estrutura de capital, Desempenho Econômico, Rentabilidade, Empresas de Tecnologia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/rau.v16i2.1111

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Journal of Directors of Unimep. ISSN 1679-5350. Electronic publication linked to the Professional Program Master's and Doctorate in Business Administration, Methodist University of Piracicaba

Diario de Administración de Unimep. ISSN 1.679-5.350. Publicación electrónica vinculada a la del Programa de Maestría y Doctorado Profesional en Administración de Empresas, Universidad Metodista de Piracicaba.

Revista de Administração da Unimep. ISSN 1679-5350. Publicação eletrônica vinculada ao Programa de Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba.