Propriedades da escala Brand Luxury Index (BLI) no Brasil. DOI: 10.15600/1679-5350/rau.v11n2p82-102

Suzane Strehlau, Otávio Bandeira De Lamônica Freire

Resumo


O luxo está embutido em graus diferentes nas marcas e algumas são consideradas mais luxuosas do que outras. Vigneron e Johnson (2004) desenvolveram a escala Brand Luxury Index (BLI) para mensurar as diferenças e gradação de luxo que uma marca contém. O objetivo deste artigo é investigar as propriedades da escala BLI e adaptá-la para o uso no contexto brasileiro. No oriente, a escala foi testada por Christodoulides, Michaelidou e Li (2009), Stegemann, Denize e Miller (2011) que identificaram interferência da cultura local em sua estrutura interna. Os dados obtidos em um survey, que contou com a participação de 225 respondentes, foram analisados por meio das técnicas estatísticas de análise fatorial exploratória e análise de variância uni e multivariada. Os resultados indicaram alterações estruturais, mas ainda assim a escala representou adequadamente os diferentes graus de luxo das marcas estudadas. A contribuição principal aqui é a apresentação de uma ferramenta de administração adaptada para mensurar a estrutura e grau de luxuosidade da marca.

Palavras-chave


Palavras-Chave: marketing de luxo, escala de luxo, marcas de luxo, comportamento do consumidor.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/rau.v11i2.597

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Journal of Directors of Unimep. ISSN 1679-5350. Electronic publication linked to the Professional Program Master's and Doctorate in Business Administration, Methodist University of Piracicaba

Diario de Administración de Unimep. ISSN 1.679-5.350. Publicación electrónica vinculada a la del Programa de Maestría y Doctorado Profesional en Administración de Empresas, Universidad Metodista de Piracicaba.

Revista de Administração da Unimep. ISSN 1679-5350. Publicação eletrônica vinculada ao Programa de Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba.