A GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS NA NACIONALIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA NAVEGAÇÃO: O PAPEL DA MARINHA DO BRASIL. DOI:10.15600/1679-5350/rau.v14n3p28-53

Antônio Jorge Dantas, Claudio Pitassi, Marco Aurélio Carino Bouzada

Resumo


As aspirações geopolíticas do Brasil, tanto em nível regional quanto global, implicam em um reaparelhamento profundo e abrangente das suas forças armadas. A garantia e a independência de fornecimento de armamentos e de matérias embarcados em caminhões, aviões e navios de guerra trazem à tona o tema do conteúdo nacional e a nacionalização de fornecedores. Este trabalho estende o campo de investigação científica de gestão de cadeias de suprimentos (GCS) buscando responder à seguinte questão de pesquisa. Qual a contribuição que a GCS traz para o desenvolvimento de fornecedores de equipamentos bélicos? O objetivo desse artigo é analisar como a GCS pode auxiliar a Marinha do Brasil (MB) no desenvolvimento de fabricantes nacionais de equipamentos de navegação marítima, destacando os seguintes equipamentos: radares de navegação, agulhas giroscópicas, ecobatímetros, hodômetros e DGPS. Trata-se de uma pesquisa com abordagem metodológica qualitativa e objetivo explicativo, apoiado no método de estudo de caso. As unidades consideradas são a Diretoria de Sistemas de Armas da Marinha (DSAM), responsável pela jurisdição de equipamentos para navegação, e uma empresa selecionada com base em seu histórico de serviços prestados à Marinha (Empresa Radiomar), com destaque para critérios de práticas de gestão de suprimentos. Os dados foram coletados por meio de oito entrevistas semiestruturadas junto aos executivos das duas organizações e as evidencias coletadas foram tratadas pelo método de análise de conteúdo categorial. Os resultados obtidos junto aos gestores das duas organizações trazem claras evidencias do reconhecimento do potencial de contribuição da GCS para o desenvolvimento de fornecedores brasileiros de equipamento comerciais embarcados em navios de guerra. Também deixam claro o caráter incipiente e errático do uso de algumas das práticas de GCS pela MB, particularmente nos construtos relacionados a compartilhamento de recursos e confiança. Conclui-se que a plena adoção de uma GCS exigirá da MB uma profunda mudança em seu modelo de gestão, particularmente na sua predisposição natural de adotar cadeias de suprimentos pautadas em rígidas estruturas de comando e controle. Adicionalmente, a adoção de uma GCS exigirá o estabelecimento de políticas públicas integradas, que proporcionem suporte orçamentário constante e adequado ao reaparelhamento da Marinha, e que motivem a indústria nacional a realizar parcerias bem sucedidas com as Forças Armadas, apoiadas pela participação perene do Governo Federal que garantam um retorno econômico adequado aos investimentos específicos feitos pelos fornecedores para atender às necessidades da MB de custos e prazos. Por fim, o estudo conclui que a adoção de novos modelos de negócio, que permitam a comercialização dos equipamentos tanto para o mercado militar como para os navios comerciais, mitiga os riscos destes investimentos.


Palavras-chave


Gestão da cadeia de suprimentos; Nacionalização; Desenvolvimento de fornecedores; Logística.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/rau.v14i3.903

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Journal of Directors of Unimep. ISSN 1679-5350. Electronic publication linked to the Professional Program Master's and Doctorate in Business Administration, Methodist University of Piracicaba

Diario de Administración de Unimep. ISSN 1.679-5.350. Publicación electrónica vinculada a la del Programa de Maestría y Doctorado Profesional en Administración de Empresas, Universidad Metodista de Piracicaba.

Revista de Administração da Unimep. ISSN 1679-5350. Publicação eletrônica vinculada ao Programa de Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba.