A DECISÃO DE COMPRA DE VEÍCULOS ADAPTADOS POR CONSUMIDORES COM DEFICIÊNCIA MOTORA. DOI:10.15600/1679-5350/rau.v14n3p102-131

Marina Dias de Faria, Leticia Moreira Casotti, José Luis Felicio dos Santos de Carvalho

Resumo


Ainda que tal informação não seja amplamente divulgada, no Brasil as pessoas que tem alguns tipos de deficiência motora podem dirigir desde que o carro esteja adaptado às suas necessidades. A presente pesquisa tem como objetivo conhecer e explorar o processo de decisão de compra de carros adaptados por pessoas com deficiência motora no Brasil. A literatura sugere que veículos automotivos adaptados podem ser capazes de mudar as vidas de tais consumidores, mas pouco se conhece acerca das motivações ou dos problemas por eles enfrentados no processo de compra. A pesquisa foi realizada com base na netnografia, esse mostrou ser um bom caminho, uma vez que as pessoas com deficiência motora tendem a utilizar o ambiente online como forma de comunicação e de interação com outros indivíduos. A coleta de informações se estendeu por três anos e foi realizada em grupos de e-mails e em blogs. O material obtido em todas as etapas da coleta de dados passou pelo protocolo de análise de conteúdo.  As categorias de análise de resultados foram definidas usando as etapas do processo de decisão de compra: (i) Reconhecimento do problema; (ii) Busca de informações; (iii) Avaliação de alternativas; (iv) Decisão de compra; e (v) Avaliação pós-compra. Assim, o material analisado foi categorizado em cinco grupos que receberam os nomes dessas etapas. É interessante destacar que, para as PcD, tal processo na íntegra é denominado de “novela”. Ao descrever o processo de compra de um carro adaptado, muitos sujeitos da pesquisa apontaram dificuldades, e que o processo costuma gastar tempo, daí a utilização recorrente do termo “novela”. Os resultados da investigação teórico-empírica de base netnográfica mostram que, muitas vezes, a busca por autonomia inicia o processo da compra do carro, e que, em todas as etapas de tal processo, multiplicam-se as dificuldades que os consumidores com deficiências precisam enfrentar. Proprietários de veículos adaptados confirmaram que a almejada independência pode ser alcançada com o carro, a despeito das dificuldades enfrentadas para a aquisição, manutenção e utilização do veículo. Muitas possibilidades para pesquisas futuras podem ser consideradas com base nos resultados deste estudo exploratório. Os depoimentos indicaram que a falta de mobilidade urbana – evidenciada, por exemplo, nas dificuldades para se chegar aos locais de consumo e aquelas enfrentadas nos estacionamentos de centro comerciais sem vagas demarcadas – se relaciona intimamente à inibição de diversos papéis sociais como os de estudantes, trabalhadores e consumidores, os quais deveriam ser amplamente exercidos por parte das PcD. Sendo assim, pode ser um bom caminho para estudiosos em marketing empreender um esforço para buscar entender os impactos da falta de mobilidade urbana no consumo das pessoas com deficiências. Nas áreas de gestão de pessoas e de organizações, pode-se estudar esse impacto na forma como essas pessoas interagem com a empresa como trabalhadores.


Palavras-chave


Processo de Tomada de Decisão de Compra; Consumidor com Deficiência Motora; Carro Adaptado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15600/rau.v14i3.950

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Journal of Directors of Unimep. ISSN 1679-5350. Electronic publication linked to the Professional Program Master's and Doctorate in Business Administration, Methodist University of Piracicaba

Diario de Administración de Unimep. ISSN 1.679-5.350. Publicación electrónica vinculada a la del Programa de Maestría y Doctorado Profesional en Administración de Empresas, Universidad Metodista de Piracicaba.

Revista de Administração da Unimep. ISSN 1679-5350. Publicação eletrônica vinculada ao Programa de Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba.